Categorias
#écoisademulher

Eu sou Malala

Malala Yousafzai é uma jovem paquistanesa nascida em Mingora, no Vale do Swat, que ganhou notoriedade após ser baleada por talibãs na porta da escola onde estudava.

Dominada pelo regime talibã em 2007, a região em que Malala morava tornou-se cada vez mais conservadora, fazendo com que o acesso à educação das mulheres fosse restrito.

Na época, autoridades afirmavam que apenas 34% das meninas frequentavam a escola, pois esperava-se que elas desempenhassem o papel de ficar em casa com afazeres domésticos como cozinhar, cuidar da casa e dos filhos.

Após o regime talibã exigir a interrupção das aulas dadas às meninas por 1 mês, a situação das escolas na cidade tornou-se cada vez mais tensa, chamando a atenção da imprensa internacional.

Malala concedeu entrevista à BBC e começou a retratar sua vida como estudante diante das proibições do regime talibã através de seu blog.

Escrevendo sob um pseudônimo que não durou muito tempo, pois suas histórias chamaram atenção até seu rosto e nome ficarem conhecidos.

Na porta da escola

Malala Yousafzai

O blog em que Malala escrevia descrevia como era ser mulher em busca de conhecimento em um regime que determinava às mulheres papéis domésticos específicos.

Por conta disso, ela concedeu mais entrevistas e participou de um documentário em que contava sua vida e dava voz às meninas de sua região.

Em 2012, a vida de Malala mudou quando, ao sair da escola, foi atingida por 3 tiros (1 atingindo sua cabeça) disparados por dois jovens identificados talibãs, deixando-a gravemente ferida.

10 dias após o ataque, ela apresentou melhoras e conseguiu se recuperar, apesar de ter ficado com algumas sequelas cognitivas.

Prêmio Nobel da Paz

Já recuperada, seis meses depois, Malala discursou na Assembleia de Jovens da ONU na qual expressou sua esperança de um dia ver o Paquistão livre e que seu povo tenha direitos e paz.

Em 10 de outubro, o comitê oficial do Nobel anunciou a entrega do prêmio Nobel da Paz a ela pela sua luta contra a supressão das crianças e jovens e pelo direito de todos à educação, tornando-se a ganhadora mais jovem de um Nobel da história.

Quer saber mais sobre Malala?

📙Livro: Eu sou Malala

Escrito em parceria com a jornalista britânica Christina Lamb, este livro é uma janela para a singularidade poderosa de uma menina cheia de brio e talento, mas também para um universo religioso e cultural cheio de interdições e particularidades, muitas vezes incompreendido pelo Ocidente. “Sentar numa cadeira, ler meus livros rodeada pelos meus amigos é um direito meu”, ela diz numa das últimas passagens do livro. A história de Malala renova a crença na capacidade de uma pessoa de inspirar e modificar o mundo.

📽 Documentário Malala

📺 Entrevista My Next Guest Needs no Introduction (Disponível na Netflix).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *